Mulher com a criança após o divórcio


Mais recentemente, uma mulher com uma criança após um divórcio causado pela sociedade manifestação de simpatia e compaixão, como ela adquiriu o estatuto de mães solteiras e de arcar e criar filhos. No entanto, hoje a situação mudou na raiz e adquiriu uma cor completamente diferente. Agora, a mulher que está cuidando de um bebê sozinho, muito menos aparecer aos olhos da vítima. É cada vez mais visto sob a forma de uma pessoa independente que tomou essa decisão difícil e não perder o ânimo depois de um divórcio. Mas, apesar disso, a maioria das mulheres que foram vítimas destas circunstâncias e têm de viver com a criança sem pai, simplesmente desistir. Afinal, uma mulher começa a parecer que o bebê nunca vai crescer, mas em sua vida pessoal nunca perde «ventos de mudança» desejada.

O aspecto psicológico

Representantes do sexo forte, por vezes, motivar o seu cuidado de uma família com uma criança de sua falta de vontade de criar uma criança, e a relutância em deixar o filho com ele após o divórcio — o medo de perder a independência. Então, uma mulher com uma criança após um divórcio deixado sozinho com o bebê. Claro, a mulher é muito difícil chegar a um acordo com a situação, porque ela é definida na mente subconsciente um retrato vívido do que o homem — um chefe de família, o pai e mentor, e uma mulher — sua mão direita na educação dos filhos. No entanto, este quadro é muito exagerada, mesmo apesar do fato de que é uma família normal em que o pai está presente, ele é meu marido. É um idílio simples quando uma criança é cercado de cuidados e afeição em ambos os lados, como um pai e uma mãe. É por esta razão, uma mulher divorciada do marido, transfere difícil uma lacuna que, por sua vez, se reflete na criança.

Órfão

Ignorando todas as dificuldades que se abateram sobre a mulher, ela deve cercar de cuidados da criança e calor duas vezes, substituindo-o em sua maneira de não só mãe cuidadosa, e um pai amoroso. Mas, é claro, deixa o impacto negativo sobre o bebê órfão. Especialmente se o divórcio dos pais ocorreu quando a criança está consciente de que ocorreu com mais freqüência após o divórcio. A mulher começa a repetir que todos os homens são maus e nada de bom a partir deles, não espere. Se o bebê é um menino, é muito mais difícil de tolerar tudo isso porque falando sobre seu pai. Além disso, o bebê pode desenvolver um sentimento de culpa sobre o que ele, também, é um representante do sexo forte. Tudo isso pode afetar a auto-estima de uma criança que pode adquirir notas do sexo feminino em seu caráter. Pai não está perto, aqui está um exemplo que demonstra masculinidade também está em falta.

Não é uma boa imagem

Se uma mulher quer trazer seu filho caráter de um homem real, ele deve deixar de falar negativamente sobre os outros homens, e, mais ainda, sobre o pai. No pior dos casos o bebê se desenvolver em uma resposta de auto-defesa. Um menino, no futuro, ser totalmente negado valores familiares.

Filha Maternidade

Apesar do fato de que a menina ama sempre a mãe dela e não é necessário educar os traços masculinos, isso não quer dizer que para educar uma filha muito mais fácil. Opinião sobre o sexo oposto, a menina é baseado no relacionamento com seu pai. Mesmo a escolha do futuro será escolhido com base na imagem do seu pai. Portanto, configure a menina de encontro ao papa ou proibi-los de ver — uma opinião ruim.

A única mulher com uma criança

A vida de uma mulher depois de um divórcio, que foi deixado sozinho com um bebê pode ocorrer de diferentes maneiras. Uma mulher pode se concentrar todas as suas energias na educação da criança e viver só para ele. Mas essa atenção excessiva pode ter suas «armadilhas», porque uma criança pode crescer até egoísta e mimada. Portanto, as mulheres precisam quebrar depois do casamento não se torna isolado psicologicamente e profissionalmente e se esforçam para encontrar o substituto perfeito para si e para os seus descendentes. Aqui estão apenas perder sua feminilidade, tentando alcançar o sucesso em suas carreiras e tentar sobre a qualidade dos homens não vale a pena, porque mesmo uma mulher divorciada com uma criança pode encontrar sua própria felicidade!