Quem pode ser uma mulher que trabalha em países europeus?

Quem ser? Normalmente essa questão perturba todo mundo em algum momento da vida. Que pode trabalhar essa teria gostado do trabalho, e que o dinheiro era. Sim, e como escolher uma boa profissão, se você é um homem ou uma mulher?


E onde, inicialmente, receber educação e encontrar um trabalho em casa ou ir para o estrangeiro?

As razões que motiva as pessoas a ir para o estrangeiro, e tão bem conhecido de todos. A instabilidade econômica, a falta de demanda por especialidade e trabalho objetivamente valiosa em termos financeiros — boas pessoas forçadas a deixar suas casas e ir em busca de uma vida melhor. Nenhuma exceção vai derreter e mulheres.

Mas sacos de recolha e sonhando com um futuro brilhante, deve compreender claramente onde comer eo que você pode esperar. E quem pode ser mulheres que trabalham em países europeus, independentemente da educação ou experiência de trabalho?

Fiel à vida.

Mesmo se você for um graduado experiente, deixando meu país, estar preparado para deixar todas estas vantagens em casa. Afinal, a maioria dos nossos diplomas «lá fora» não são válidos, e seu conhecimento não são desejados. A menos é claro que você não come por um determinado local de trabalho, a convite da empresa ou corporação.

O trabalho mais comum que aguarda os nossos cidadãos, incluindo as mulheres nos países europeus é um trabalho árduo físico, que não necessita de qualificação, bem como aquele em que os moradores relutantes. Portanto, não é raro ver um acadêmico, colhendo morangos e lavar pratos advogado.

Apenas não conte com um dispositivo legal. O problema de inconsistência de lei de imigração ea política económica do Estado, cria uma situação em que o empregador não é rentável para realizar todos os procedimentos e formalidades relacionadas com o emprego de estrangeiros, se o recrutamento é realizado não em grandes quantidades.

Outra situação é quando um perito foi convidado para trabalhar para uma determinada empresa, que está interessado na sua cooperação. Em seguida, um emprego mais realista. Mas há uma outra questão que preocupa os sistemas de educação inconsistências em diferentes países. Em tais casos, uma melhor chance de mulheres que trabalham na Europa, com a formação de um programador, um tradutor, um cabeleireiro — estilista, designer de moda, restaurador, fotógrafo e outros. Ou seja, a especialidade, onde há, qualquer específicos relacionados com a lei estadual, a economia, as características nacionais.

Quanto a pagar.

Claro, a primeira finalidade para a qual as pessoas vão para o exterior é o desejo de ganhar dinheiro. Salários mínimos no exterior é muito maior do que em nossos países, de modo algum das empresas mais lucrativas e de contratar os nossos compatriotas, porque até mesmo um scrip, eles vão responder com entusiasmo.

Normalmente, o pagamento é calculado sobre o nível de qualificações necessárias, horas trabalhadas, por vezes, a qualidade do trabalho. Tudo vai depender de onde você se encontra, e sobre a integridade do seu empregador. Mas mesmo com o salário mínimo dos nossos concidadãos e gerir-se para viver, e enviar para sua terra natal, e até mesmo algo para salvar. By the way, talvez precisamente por causa desta capacidade de «virar e sair,» estrangeiros e nosso amor das mulheres.

Lembre-se que um bom especialista será sempre bem pago. E mesmo se você não no primeiro ser oferecido um salário de seus sonhos, e metade dela, ou dianteiro, concorda. Trabalho no exterior é bom que todos tenham a oportunidade de crescimento na carreira, o que depende da capacidade, não apenas em relacionamentos. Se você mostrar-se, que em breve receberá um pé de igualdade com os cidadãos do país, e às vezes até mais.

Normalmente, os nossos funcionários e, especialmente, as mulheres valorizado empregadores estrangeiros pelo seu trabalho árduo, gostos estranhos e mais importante simples. Afinal, não estamos acostumados a discutir com seus superiores e, em muitos casos, não é algo que não defender os seus direitos perante a lei, mas não os conhecia. Se você não fazê-lo em casa, então o que dizer sobre os países estrangeiros onde estamos, grosso modo, a boca.

Quem ser?

Uma viagem ao estrangeiro para o trabalho é o mesmo eo risco. Afinal, dificilmente alguém vai a um convite pessoal do empregador. Normalmente, um regime comum deixa originalmente conselho de amigos ou parentes, então embalado algum dinheiro para estradas, aeroportos, eo que é próxima vida vai mostrar. Ou tentando encontrar um emprego através de uma organização especial ou agência que bom, mas por uma pequena taxa, irá fornecer-lhe um lugar vago. Mas onde é a segunda pergunta difícil. Para pesar de todos, scammers estão em toda parte, e de ninguém está imune. Uma vez em uma vara de pesca, você vai no melhor dos casos, apenas ficar sem dinheiro pago para o bilhete e visto, no pior — seu trabalho duro não será pago — desta vez, e ela muito provavelmente poderia ser uma das mais antigas profissões.

Apesar de a lei eo desejo de parar este processo, e aconselhamento em curso sobre ofertas atraentes como não ser mantidos — o tráfico de escravos é um dos negócios mais rentáveis. Eles estão levando as pessoas ao trabalho escravo, principalmente de países onde as pessoas não podem encontrar o seu lugar, e são forçados a ir em busca de um destino melhor.

A partir do exposto, podemos fazer uma pequena conclusão. E assim — trabalhar no exterior são, se nem sempre o melhor, mas ainda assim. Não é realmente possível ganhar. Por exemplo, trabalhando em uma posição baixa, você nunca obter esse tipo de dinheiro para ele. Trabalho no exterior é diferente, e se você ir para um lugar bem definido, uma melhor chance de evitar erros e para fazê-lo funcionar, mas não em apuros. Portanto, uma maneira de ganhar pode ser atribuída com segurança ao arriscado.

A visão de que as mulheres do nosso «não» apenas uma coisa — mas às vezes não é verdade, e por nossas mulheres querem continuar a exercer o trabalho que eles estavam fazendo e, em seguida: fotografia, moda, artesanato, programação, ou qualquer outro trabalho, o mais importante, é muitas vezes com boas perspectivas e os salários mais baixos.